TEMA CULTURAL 23/25

O Tema Cultural para o biénio de 2023 a 2025 designa-se “ONDE ESTÁ O TEU IRMÃO? RECONHECE-O! VALORIZA-O! AMA-O!”

Trabalhámos ao longo destes últimos anos a encíclica “Laudato Si'”, publicada em 2015. Havidos 8 anos continua a ser um importante documento de referência na nossa caminhada, assim como outros documentos pontifícios que servem este nosso propósito: “Construir um pacto educativo global”, iniciativa inspirada nos contributos da exortação apostólica Evangelii Gaudium e as encíclicas Laudato Si’ e Fratelli Tutti. A Bíblia e outros documentos orientadores da vida e obra de Ana Maria Javouhey fazem sempre parte das nossas fontes de trabalho. 

A ILUSTRAÇÃO

Os elementos estruturantes da ilustração evocam conceitos como solidariedade, empatia, compreensão mútua, superação nas adversidades. (…)

Mãos

À esquerda da imagem, a mão de Jesus o Salvador, é uma referência à Divindade e Missão, liga-nos à Misericórdia e Compaixão de Jesus para com os mais necessitados. Jesus estende as mãos para acolher e ajudar os que mais sofrem, mostra o Amor incondicional.

Subentende um gesto de Bênção, Proteção e Unidade, simbolizando a Graça Divina, porque nos chama a ser as Suas mãos estendidas ao mundo, espalhando o amor e a Mensagem para com os nossos irmãos. 

A Luz

Representa a presença de Deus em Jesus, Vida eterna e Esperança. Ilumina o caminho e traz luz aos corações daqueles que procuram ter um comportamento Crístico.

Deus nunca se repete, é a Eterna novidade e a oração é a forma de reacender essa Luz que há em nós. Ir. Maria da Glória. A mensagem central da Bíblia é que devemos tratar os outros com amor, respeito, compaixão e generosidade, refletindo assim o amor de Deus através da Luz que nos é dada pelo Batismo.

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” Mt 5, 16

A mão à direita da imagem

Representa a vulnerabilidade, fragilidade de todos aqueles que, mesmo no silêncio, continuam a apelar à ajuda e ao amor. 

“Ninguém é o erro que comete” como refere o Padre Fábio Vieira. Somos mais do que os nossos erros, Deus conhece o nosso verdadeiro coração.
“O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”. 1 Samuel 16:7

As duas mãos

Enfatizam a importância de reconhecermos a dignidade de cada ser humano e de promover relações baseadas na fraternidade, solidariedade e igualdade. 

Todas as pessoas são chamadas a reconhecer a sua fraternidade e a relacionar-se como uma única família humana. Fratelli Tutti

Simbolizam também a cultura do encontro, enfatizada pelo Papa Francisco, na importância de promover diálogo e entendimento mútuo para superar divisões e construindo pontes entre diferentes culturas, religiões e tradições.

“Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil. Também estas Eu preciso de as trazer e hão de ouvir a minha voz; e haverá um só rebanho e um só pastor.” Jo 10, 16 

Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Estes objetivos globais assumidos pelos 193 países das Nações Unidas têm como ambição “não deixar ninguém para trás”, por isso coloca-nos no maior desafio de fraternidade de todos os tempos, proposto pelas Nações Unidas e implementado pela OIEC (Secretariado Internacional da Educação Católica), da qual a Congregação SJC faz parte.

O TEMA CULTURAL

FORMAÇÃO INTEGRAL DO ALUNO

Temos a peito uma formação integral que se resume no conhecer-se a si mesmo, ao próprio irmão, à Criação e ao Transcendente

Não podemos esconder às novas gerações as verdades que dão sentido à vida. Papa Francisco (2021)

“ONDE ESTÁ O TEU IRMÃO?”

É no contexto da história de Abel e Caim que Deus mostra a Caim a gravidade do seu pecado e confronta-o com a consequência do ato. Este texto interpela-nos a cuidarmos uns dos outros como irmãos. É um convite a amar e a cuidar uns dos outros como a si mesmo.

Também no exemplo de vida de São Francisco de Assis vemos refletida a profunda conexão com a natureza e por todos os elementos da Criação e a sua visão de Fraternidade Universal, reconhecendo a interdependência e a igualdade de todas as formas de vida.

A vida do Beato Carlo Acutis também espelha um exemplo de santidade e espiritualidade, no seguimento de Jesus e no amor universal. A vida de Carlo é lembrada como um testemunho de fé e amor a Deus. (1991-2006)

“ONDE ESTÁ O TEU IRMÃO? RECONHECE-O!

Por vezes fazemos a pergunta: “onde está Deus?” quando se vê a pobreza no mundo, devemos colocar a questão de outra forma: “onde estamos nós? onde estás tu?”, promovendo no fundo uma responsabilização de cada um pela solução ou alívio do problema. Jose Omella

A ideia de “conhece-te a ti mesmo” – orientou sempre a educação, mas é necessário não descurar outros princípios essenciais: “conhece o teu irmão”, a fim de educar para o acolhimento do outro. cf. Carta enc. Fratelli tutti

“ONDE ESTÁ O TEU IRMÃO? VALORIZA-O

“Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-o vós também a eles.” Esta passagem referida em Mt 7, 12 encoraja-nos a tratar e valorizar os outros da maneira como gostaríamos de ser tratados.

São João Paulo II, falava-nos sobre a dignidade e o valor intrínseco de cada pessoa, destacando a importância de respeitar a vida humana e a necessidade de construir pontes entre as pessoas, independentemente de suas origens culturais, étnicas ou religiosas. Promoveu o diálogo inter-religioso e enfatizou a importância da solidariedade global em ordem a uma distribuição mais justa dos recursos e oportunidades. 

Das mais belas iniciativas de São João Paulo II, surgem as JMJ, precisamente com esta finalidade de exaltar as relações humanas, de experienciarmos o “viver do outro”, de desde jovens podermos aprender a viver juntos com Deus no centro das nossas vidas.

“ONDE ESTÁ O TEU IRMÃO? AMA-O!

Deus Ensina-nos a Amar, nos dois primeiros mandamentos refere: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, e com toda a tua mente” Mt 22, 37 e “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Mt 22, 39

A Parábola do Bom Samaritano fala-nos do amor e compaixão ao próximo e é um bom exemplo de como podemos viver em comunidade, estando atentos aos outros, apoiando nas fragilidades e enaltecendo as qualidades.

Deus Ama e Perdoa sempre. Nós perdoamos umas vezes sim, outras não. A Mãe Terra nunca perdoa.

O Papa Francisco, na sua visão de formação integral, apela-nos a educar para o grande mistério da vida “Conhece o Transcendente”.

Educar para a transcendência envolve o desenvolvimento do ser humano no seu sentido mais profundo e na procura de um significado na vida, num entendimento mais profundo de nós mesmos, dos outros e do universo.

Tomar consciência da sua dignidade de pessoa, e da pessoa única que é, feita à imagem e semelhança de Deus, consciente de que os dons que possui lhe foram dados para um mais qualificado serviço à Humanidade e Glória de Deus. Ideário e Projeto Educativo

PACTO EDUCATIVO GLOBAL

O Papa Francisco exorta-nos a “unir esforços numa ampla aliança educativa para formar pessoas maduras, capazes de superar fragmentações e contrastes e reconstruir o tecido das relações em ordem a uma humanidade mais fraterna.” 

Refere ainda, que se queremos um mundo mais fraterno, devemos educar as novas gerações para “reconhecer, valorizar e amar todas as pessoas independentemente da sua proximidade física, do ponto da terra onde cada um nasceu ou habita”. Carta enc. Fratelli Tutti, 1

O Papa Francisco convida-nos a fazer parte da mudança. E a mudança é possível, se cada um de nós fizer a sua parte.

DESAFIOS 7 COMPROMISSOS COM O PACTO EDUCATIVO GLOBAL

  • Colocar a pessoa humana no centro

Colocar a pessoa no centro de cada processo educativo, realçar a sua unicidade e especificidade e a sua capacidade de se relacionar com os outros. (…)

Uma comunidade desvitaliza-se quando perde a dimensão humana, quando deixa de colocar a pessoa humana no centro, quando não se empenha em tornar concreta a justiça social, quando desiste de corrigir as drásticas assimetrias que nos desirmanam. José Tolentino Mendonça (2020) “O que é amar um País”

  • Ouvir as novas gerações

Ouvir a voz das crianças, adolescentes e jovens para construirmos juntos um futuro de justiça, de paz, de uma vida digna de cada pessoa humana. 

Precisamos de proporcionar um ambiente educacional participativo que envolva inteligência, mãos ecoração. “É preciso uma aldeia inteira para educar uma criança”. Provérbio Africano

  • Favorecer a plena participação das meninas e adolescentes na educação

A dignidade humana não advém das Nações Unidas, nem de qualquer outro organismo ou documento humano, mas do facto de a humanidade ser criada à imagem e semelhança de Deus.

“O plano da criação é que os irmãos tenham a mesma dignidade. Nenhum homem tem mais dignidade que outro. É isso que a fraternidade estabelece.” Cardeal Peter Turkson (2018)

  • A importância da Família

A família deverá ser o primeiro e indispensável educador. É responsável por transmitir valores, promover o amor, o respeito e o apoio mútuo. É na família que se estabelecem os alicerces de um crescimento saudável, para a construção de um mundo mais fraterno. Grande parte dos sonhos de Deus realizam-se na Família!

  • Acolher

Educar para o acolhimento, abrindo-se aos mais vulneráveis e marginalizados. Somos convidados a ajudar os nossos alunos a pensar no Bem Comum… num Maior Bem que seja mais próximo da Vontade de Deus!

  • Renovar a economia e a política

O Papa Francisco apela a uma abordagem mais justa, sustentável e solidária, que coloque a dignidade humana e o bem comum no centro das decisões. Incentiva a superação do egoísmo, a promoção da justiça social, a inclusão e o cuidado com o meio ambiente. 

  • Cuidar da Casa Comum

Devemos ser responsáveis por preservar a natureza, proteger a biodiversidade e adotar práticas sustentáveis. O Papa Francisco incentiva-nos com ações concretas para combater as mudanças climáticas, promover a justiça ambiental e garantir um futuro saudável para as gerações futuras, exorta-nos a agir com compaixão e solidariedade em relação à casa que é de todos.

PEREGRINOS DE ESPERANÇA

Rumo ao Jubileu de 2025, ano da solidariedade e da esperança, foi instituído para consolidar a fé, favorecer as obras de solidariedade e comunhão fraterna na Igreja e na sociedade. Uma boa oportunidade para se estabelecerem e fortalecerem laços de compromisso com todos estes desafios.

O Papa convida a recuperar o “sentido de fraternidade universal”, evocando o “drama da pobreza crescente”, e apela a que “Não nos desleixemos, ao longo do caminho, de contemplar a Beleza da Criação e cuidar da nossa casa comum.

O QUE NOS DIZ ANA MARIA JAVOUHEY

A vida de Ana Maria Javouhey reflete um profundo compromisso com a promoção da solidariedade, justiça e amor entre os seres humanos

A obra missionária que conhecemos reflete a sua dedicação aos mais desfavorecidos. Uma das contribuições mais notáveis de Ana Maria foi a luta pela emancipação e evangelização dos escravos, um exemplo heróico de coragem e dedicação aos princípios de justiça e dignidade da pessoa humana.

O que nos deixa, pelas mãos das Irmãs de S. José de Cluny, Congregação a que todos estamos unidos, é a Missão e o convite diário e desafiante para promovermos o amor ao outro, reconhecendo o valor de cada pessoa, a estender a mão aos mais necessitados e a contribuir para um planeta mais justo e compassivo.