ACOLHIMENTO DOS SÍMBOLOS JMJ’23

O VÍDEO

A JMJ

A Jornada Mundial da Juventude nasceu por iniciativa do Papa João
Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma,
no Ano Internacional da Juventude. Esta, é um encontro de jovens de
todo o mundo. É uma peregrinação… uma festa da juventude… é uma
expressão da Igreja universal e um momento de forte evangelização
juvenil. É um convite a uma geração determinada em construir um
mundo mais justo e solidário. A Jornada Mundial da Juventude tem
provocado novos impulsos à fé, à esperança e à caridade de toda a
comunidade do país de acolhimento. Tendo os jovens como
protagonistas, a JMJ procura também promover a paz, a união e a
fraternidade entre os povos e as nações de todo o mundo.

A Cruz

Nos meses anteriores a uma Jornada Mundial da Juventude, os
símbolos (a cruz e o ícone mariano) peregrinam sempre no país que
acolhe a JMJ. É a pedido do Papa João Paulo II que os símbolos sejam
levados “a todo o mundo como um sinal do amor do Senhor Jesus”.
Hoje, está aqui, na nossa comunidade, para nos contagiar!
A Cruz Peregrina foi entregue aos jovens pelo papa João Paulo II no
Domingo de Ramos de 1984. Com quase quatro metros de altura e
feita totalmente de madeira, a cruz peregrina já esteve nos cinco
continentes, visitando quase 90 países. Já foi transportada a pé, de
barco e até de trenós, gruas e tratores. Já passou pela selva, por
monumentos, centros comerciais, escolas e universidades. Para além
disto, já peregrinou por locais bastante frágeis/sensíveis como centros
de detenção juvenis, prisões e hospitais. Esta cruz tem sido um sinal de
esperança em locais cujo passado foi difícil. Em 1985, esteve em Praga,
na altura em que a Europa estava dividida pela cortina de ferro. Pouco
depois do atentado às Torres Gémeas a 11 de setembro de 2001,
viajou até Nova Iorque. Passou ainda em Ruanda, em 2006, depois do
país ter ficado devastado pela guerra civil.

O Ícon

A acompanhar a Cruz Peregrina anda o ícone de Nossa Senhora Salus
Populi Romani, que retrata a Virgem Maria com o Menino Jesus nos
braços. Este ícone foi entregue também mais tarde, por João Paulo II
aos jovens, depois da JMJ de 2002 em Toronto, no Canadá, como
símbolo da presença de Maria junto dos jovens. Com 1,20 metros de
altura e 80 centímetros de largura, o ícone de Nossa Senhora Salus
Populi Romani está associado a uma das mais populares devoções
marianas em Itália. O ícone original encontra-se na Basílica de Santa
Maria Maior, em Roma, e é visitado pelo Papa Francisco antes e depois
de cada viagem apostólica. Ele senta-se em frente ao ícone para uma
prece de agradecimento pela viagem e pelo país que visitará/visitou,
além de depositar aos seus pés, flores. A tradição deste ícone é levá-lo
em procissão pelas ruas de Roma para afastar perigos e desgraças ou
pôr fim a pestes.